bem-vindos abro-te os braços
mas não é em tua direção que olho
aos céus desconjunto a mirada
pois não sei (nem sabes) se existes

que te anjo ou espelho há que ensine a não seres inviso
de que anjo me o mesmo o reflexo haverá de ensinar