talvez falte a teus olhos
pareados e alheios
em teu rosto ocupado
solidão suficiente
para veres deveras
esta rua, esta rua
tão deserta e noturna
que caminha teus passos