tradizer

“Cow” é “vaca”? Armadilhas do literalismo

. 4 min read . Written by Fabiano Seixas Fernandes
“Cow” é “vaca”? Armadilhas do literalismo

Assim como a tradução palavra-por-palavra (uma utopia tradutória que, por muito tempo, guiou não só os esforços, mas as reflexões dos tradutores), a tradução literal (ver nota abaixo), como sua mais próxima parenta, também nos prega algumas peças.

O literalismo apresenta armadilhas justamente onde menos suspeitamos: nas palavras mais usuais. É freqüente que tradutores e outros tipos de produtores textuais consigam inferir simples e corretamente o significado de palavras e expressões que nunca viram antes (quando usadas em contexto, bem entendido), ao passo que se vêem recorrendo aos dicionários à procura dos significados de palavras que não só conhecem muito bem, mas usam freqüentemente.

Mesmo uma criança em idade escolar com mínimas noções de inglês traduziria a palavra vaca sem o melhor problema: cow. Cow significa vaca, vaca significa cow, de um modo simples, direto, descomplicado e bilateral que reforça nossas fantasias de correspondência plena entre duas línguas quaisquer. Para reforçar essa correspondência, tanto vaca quanto cow são xingamentos. Vejamos alguns exemplos do uso ofensivo de cow para se referir a mulheres.

O primeiro vem da comédia britânica The IT Crowd; Jen (interpretada por Katherine Parkinson) liga para o serviço de assistência de seu notebook, e inadvertidamente ofende a telefonista, ao confundi-la com uma mensagem automática:

Phone operator: Hello. Do. You. Wish. For. Technical. Assistance?
Jen: Ugh, God I hate these…
Phone operator: Sorry?
Jen: What?
Phone operator: How. Dare. You. Speak. To. Me. Like. That?
Jen: Sorry. Can I have technical assistance, please?
Phone operator: Putting. You. Through. Cow.

Telefonista: Olá. Deseja. Receber. Assistência. Técnica?
Jen: Detesto isso…
Telefonista: O. Que. Disse?
Jen: Hã?
Telefonista: Como. Se. Atreve. A. Falar. Comigo. Assim?
Jen: Desculpe. Posso falar com a assistência técnica?
Telefonista: Transferindo. A. Ligação. Vaca.

Em nosso segundo exemplo, a comediante britânica Rachel Parris, em um de seus mais populares segmentos para The Mash Report, comentou sobre etiqueta de interação via redes sociais:

So, with people confused as to what they can and can’t say on social media, a lot of Internet users are tweeting me to ask: “Rachel, is the way that we interact with one another online not acceptable in the real world, you stupid cow?”

Uma vez que as pessoas estão confusas a respeito do que podem ou não dizer nas redes sociais, muitos internautas me tuítam e perguntam: “Rachel, o modo como interagimos online é inaceitável, sua vaca estúpida?”

Finalmente, a comediante Sarah Millican, em uma apresentação ao vivo, reportou uma experiência desagradável durante uma prova de sutiã:

When I went for mine [my bra fitting], the lady said to me: “Would you like to look at the back of the bra?”, and I thought: “No!”, and then I wondered if I’m missing out on something, so I had a look; turns out I got back tits as well! Didn’t know about those, thanks for pointing them out, you cow!

Quando fui fazer prova de sutiã, a moça perguntou: “Gostaria de ver as costas também?”, e eu pensei: “Não!”, mas aí fiquei imaginando se não estava perdendo alguma coisa importante, então dei uma olhada; e acontece que eu também tenho seios nas costas! Obrigada por me mostrar, sua vaca!

Em princípio, nada parece haver de errado em se traduzir cow por vaca nos exemplos acima. Mesmo assim, não pude deixar de imaginar que preferiria traduzi-los de outro modo. Aos animais, atribuímos diferentes características humanas: deslealdade às cobras, astúcia às raposas, glutonia e relaxamento aos porcos, grosseria aos cavalos, etc. E quanto às vacas? Em português, a julgar pelas definições que consultei, as vacas se unem a piranhas e galinhas, reforçando o coro misógino das ofensas de natureza sexual:

Pej. Mulher devassa e leviana
(Aulete Digital)

[Pejorativo] Mulher devassa, despudorada.
[Pejorativo] Aquela cujos seios são grandes e caídos.
(Dicionário Online de Português)

[Informal, Depreciativo] Mulher disforme ou muito gorda.
[Informal, Depreciativo] Mulher considerada desavergonhada.
(Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)

Há outros significados pejorativos (e.g. alguém de quem se toma proveito facilmente e mesmo surfista que cai da onda), mas são ou muito específicos ou, francamente, eram-me desconhecidos, de modo que não posso atestar seu uso. Nos exemplos acima, são as conotações mais comumente atribuídas a mulheres que contam. E seriam, a julgar pelos dicionários, todas de natureza sexual.

E eis minha aí minha estranheza. Em nenhum dos exemplos, nos quais vemos mulheres falando a/sobre mulheres em contextos não-sexualizados, pareceu-me que houvesse qualquer conotação sexual na ofensa. Os dicionários a que tive acesso em inglês confirmam isso:

informal: An unpleasant or disliked woman.
[informal: Uma mulher desagradável ou de quem não se gosta.]
(Oxford Dictionary)

chiefly British, informal: a woman who is stupid or annoying
[esp. Grã-Bretanha, informal: uma mulher estúpida ou irritante]
(Merriam-Webster)

Slang: Disparaging and Offensive. 1. a large, obese, and slovenly woman
2. a woman who has a large number of children or is frequently pregnant.
[Gíria: ofensiva e derrisória. 1. uma mulher grande obesa e relaxada. 2. uma mulher que tem muitos filhos e engravida com freqüência.]
(The American Heritage Dictionary)

Apenas a última definição ofereceu conotações ligadas de alguma forma à sexualidade, mas os exemplos acima parecem mais próximos das definições anteriores. Cow parece mais propriamente voltado a inconveniência ou estupidez; mesmo assim, traduzir por burra, anta, jumenta ou toupeira (nossos animais cognitivamente defasados) parece dar muita ênfase ao componente de estupidez, e nenhuma ao de inconveniência ou falta de tato. Cow me soa ao mesmo tempo específico e genérico, e isso provavelmente se deve ao fato de que, aparentemente, não temos um animal que agregue simbolicamente as características acionadas em inglês.

E aqui vemos a fina tramóia do literalismo: em contextos como os supracitados, verter automaticamente cow por vaca poderá levantar poucas dúvidas, mas deixará de lado nuances importantes, e corre mesmo o risco de uma inadequação mais séria. Mesmo assim, dado o peso com que a literalidade impacta as visões de senso-comum sobre tradução, quem ousaria traduzir diferentemente?


Nota sobre o conceito de tradução literal: Por tradução literal, entendo aquela que busca reproduzir o texto em língua-meta da forma mais próxima possível, especialmente no tangente a conteúdo, realizando somente os desvios “necessários” relativamente à estrutura, ordenação e sintaxe. É importante ressaltar, porém, que a idéia mesma de desvios necessários é problemática, pois pressupõe o mesmo tipo de correspondência 1:1 que nos levaria a crer em traduções palavra-por-palavra; também pressupõe que existe um modo preferencial de se traduzir uma estrutura, o que é um tanto difícil de se provar.