tradizer

Lançamento: Erik Satie, dramaturgo e traduzido

. 1 minuto de leitura . Written by Fabiano Seixas Fernandes
Lançamento: Erik Satie, dramaturgo e traduzido

Erik Satie (1866-1925) é mais conhecido como compositor e pianista, mas sua aproximação das vanguardas européias também lhe rendeu uma peça, composta em 1913, intitulada Le Piège de Méduse, para a qual compôs também música incidental.

Inédita até hoje em português, a peça acaba de receber tradução para o português brasileiro; assina a tradução a tradutora e jornalista Marina Bento Veshagem, que a traduziu para seu Mestrado em Estudos da Tradução pela PGET/UFSC.

A tradução, intitulada A armadilha de Medusa, foi lançada pela Rafael Copetti em edição bilíngüe. A apresentação ficou a cargo de Dirce Waltrick do Amarante.

A apresentação da obra, no site da editora, descreve-a da seguinte forma:

A armadilha de Medusa, escrita em 1913, marcou o século XX. Fruto de uma época de experimentações artísticas, já foi citada como precursora do teatro dadaísta e do teatro do absurdo, bem como portadora da verdadeira música do surrealismo. A única peça teatral escrita pelo francês Erik Satie, grande compositor e pianista do modernismo, é uma “comédia lírica em um ato”, cujas cenas são intercaladas pela música do autor, que deve ser dançada pelo macaco mecânico Jonas.